domingo, 6 de setembro de 2009

Anos ímpares



Os anos ímpares sempre assumiram um valor especial em minha vida. Seja por mudanças abruptas, por transformações; nunca esses anos passaram indiferentes.

Dos que tenho real lembrança, 1967 foi o ano em que nasci, 1983, 1985, 1989, 1993, 2001, 2005, 2009 - todos anos com imenso valor - anos fundamentais na trajetória da minha vida e que contribuiram para o que sou hoje.

O ano de 2009 não poderia passar despercebido.
Ainda não tenho como descrever em palavras o que tenho sentido, mas no domingo passado sofri um pequeno acidente caseiro, apartando a briga de minhas duas cadelas. Com isso, perdi um pedaço da ponta do dedo da aliança, na mão direita e perdi a polpa digital, além de uma fratura exposta no osso do dedo.

Desde aquele domingo tenho vivido um misto de sentimentos e atitudes, tristeza, agradecimento, autocomiseração, dor, medo, conformação e uma sensação estranha em relação à vida. Ainda não tenho condições de precisar muitas coisas...e nem estou querendo. Sei que estou lançada no olho - centro do universo - e que muita coisa boa pode vir disso.
Certo, certo, é que perdi a 'aura imaculada', já que eu nunca havia me acidentado, quebrado nada, ficado internada...essas coisas. Tomara que eu ganhe outras também. E ganhe sobretudo juízo para aprender a não apartar briga de cachorros com as mãos.

Aos que me visitam no blog um carinho especial e um beijo de agradecimento.

4 comentários:

railer disse...

lili, tenho acompanhado essa história pela jackie, pelo twitter, telefone e pessoalmente. quando liguei você estava dormindo, mas espero que ela tenha te enviado todos meus votos de melhoras e minhas orações para que tudo desse certo.

você vai ficar bem melhor e superar isso. te conheço.

beijo grande. é bom ter você de volta aqui, escrevendo, colocando pra fora sua dor e mostrando sua garra. força, amiga!

Anônimo disse...

Acidentes nos trazem sempre um misto de sentimentos. Mas são nesses momentos que ficamos mais fortes e pensamos em como direcionar melhor nossa energia. Não posso imaginar o que você esta sentindo mas, tenho certeza que depois que passar, você vai entender que esse pedaço que foi tirado abriu espaço para receber muiiiiitas coisas boas! Te amo.

Francisco Sobreira disse...

Querida Lili,
Nunca me detive para pensar se os anos pares são melhores para mim do que os ímpares, ou vice-versa. O que tenho ob servado nos últimos anos é que cada ano me traz algumas alegrias ao lado de tristezas, decepções e doenças. E por falar em doença, via acidente: Mas, amiga, você não pensou no perigo que é apartar briga de cachorros. Um amigo meu já passou por essa mesma experiência, mas parece que não teve danos graves. Entendo, embora nunca tenha passado por isso, o seu estado psicológico e emocional, mas torço para que você o supere o mais rápido possível. E juízo, hem, não caia noutra. Um beijo e uma excelente semana.

Lili disse...

Obrigada AMIGOS! Pela delicadeza e atenção...
Beijos com meu carinho,
Lili