sexta-feira, 1 de maio de 2009

Capacho proibido

Conforme saiu na coluna do Ancelmo Góis, um prédio no Leblon proibiu o uso de capachos (tapetes) na porta do apartamento. Os moradores que insistirem em ter tal precaução de higiene serão multados.

O colunista achou “ridícula” essa norma. Olha, eu tenho cá minhas dúvidas quanto a ser a favor ou contra o uso do tal capacho. Sempre sou a favor do bom senso. Acontece que algumas pessoas simplesmente não têm bom senso!
Eu poderia tirar umas fotos dos capachos de alguns vizinhos de porta do prédio onde moro pra comprovar minha tese, não o faço, pois as câmeras do prédio iriam flagrar-me em ato insólito...
Mas o fato é que alguns moradores têm os capachos mais sujos que os sapatos vindos da rua;
Outros escolhem capachos horripilantes, estampados com flores e cores;
E há ainda famílias que possuem cachorro, gato e criança mal educada que chutam seus capachos, e também o meu, para bem longe das portas devidas.
Acho que são esses bons motivos pra abolirmos de vez os malditos capachos.
Foto foi tirada na minha viagem a Índia,
reparem nos sapatos deixados do lado de fora da porta!

Eu tenho que confessar que tenho vários capachos e tapetinhos, mas abro mão do meu na entrada da porta, tudo por um bem maior, e talvez por uma vida menos ordinária.

4 comentários:

Anônimo disse...

Esse é um assunto interessante, realmente. Eu já pensei em esconder o do vizinho... Detalhe é que essa idéia ainda continua viva. hummmm

Beijosss
Jackie

Lili disse...

hahahaha...adorei!

Francisco Sobreira disse...

Querida Lili,
Li a nota de Ancelmo na versão on line de O Globo. Olhe, eu sou favorável à colocação de tapete, mas concordo com você que há pessoas mal educadas que emporcalham os tapetes, ou os tira do lugar. Felizmente, o vizinho do meu apartamento não faz essas coisas. De todo modo, é um problema , aparentemente fácil de resolver, mas é um tanto delicado. Um beijo.

railer disse...

cada um tinha que cuidar do seu tapete. eu tenho um, que ganhei, escrito 'bem vindo' e que sempre limpo e cuido.