domingo, 20 de maio de 2007

Giulietta Masina

Gelsomina, Cabiria, Giulietta Masina se confunde com suas personagens, as quais personificou com impecável brilho. Também, a vida e arte de Giulietta Masina estão ligadas visceralmente às do cineasta Federico Fellini, seu marido durante exatos 50 anos (1943-1993). Tanto que Giulietta faleceu de desgosto, cinco meses após a morte de Federico. Masina nasceu em 22 de fevereiro de 1920, no vilarejo de Giorgio di Piano, Itália. Quando jovem, foi fazer faculdade em Roma, onde participou de um grupo teatral. Conheceu Fellini num programa de rádio que ele tinha escrito sobre um jovem casal recém-casado. Pouco depois, eles se casaram. Em 1946, estreou no cinema, fazendo participação especial no clássico neo-realista Paisà, de Roberto Rossellini. Sua longa e frutífera parceria com Fellini teve início em Mulheres e Luzes (Luci Del Varietà), primeiro filme do marido, co-dirigido por Alberto Lattuada. Na seqüência, trabalhou em Abismo de um Sonho (Lo Sceicco Bianco). A consagração internacional veio mesmo com A Estrada da Vida (La Strada), em que se destacou como a artista de rua Gelsomina. Em Noites de Cabíria, Masina viveu outra personagem imortal: a prostituta Cabíria. Mais uma vez, foi aclamada por público e crítica, chegando a receber o prêmio de melhor atriz no Festival International du Film de Cannes. Ainda para Fellini, trabalhou em A Trapaça (Il Bidone), Julieta dos Espíritos (Giulietta degli Spiriti) e Ginger & Fred (idem).

*****************************************************

Giulietta Masina (Caetano Veloso)

Pálpebras de neblina, pele d'alma

lágrima negra tinta

lua lua lua lua

Giulietta Masina

ah, puta de uma outra esquina

ah, minha vida sozinha

ah, tela de luz puríssima

(existirmos a que será que se destina)

ah, Giulietta Masina

ah, vídeo de uma outra luz

pálpebras de neblina, pele d'alma

Giulietta Masina

aquela cara é o coração

de Jesus

***************************************************

Essa música representa muitas coisas para mim remete a um ótimo tempo...de descobertas incríveis, abertura de mundos, experiências fantásticas que fizeram de mim muito do que sou hoje.



2 comentários:

Helen Carolina disse...

Gosto da boa música de Caetano. Obrigada pela visita Lili. Volte qd quiser. Bjs , Té mais...

Anônimo disse...

Adoro ela e Caetano...muito, muito bom!